Conheça o que é Comida de Verdade 【 ”◞】-  Dieta Paleo

Conheça o que é Comida de Verdade 【 ”◞】- Dieta Paleo

Conheça o que é Comida de Verdade 【 ”◞】- Dieta Paleo
5 (100%) 1 vote

“Nada em nutrição faz sentido se não for iluminado pela luz da evolução”
Dr. Loren Cordain, Dept. de Ciência e Saúde e do Exércicio do Colorado (EUA)

 

Comida de verdade. É o jargão que você mais me ouve falar aqui no blog, fica lado a lado com reeducação alimentar e nutrição e boa forma. Mas é justamente o foco que toda a dieta deve ter e é o verdadeiro motivo pelo qual fundei esse blog: passar todo o conhecimento sobre nutrição e boa forma que acumulei nessa última década e que me mudou para melhor.

 

A dieta paleo é o alicerce do que chamo aqui de comida de verdade, que é toda comida que alimenta o seu corpo, seu espírito e sua mente.

 

Explicando melhor alimentação forte ou comida de verdade é a escolha de alimentos que nutrem seu corpo, que dá a ele boa quantidade e  uma bela variedade de nutrientes como vitaminas e sais minerais. E isso só se consegue quando optamos por alimentos pouco processados.

 

E não estou apenas falando de comida crua. Estou falando de alimentos o menos industrializados possíveis. E como disse acima comida de verdade nutre o corpo, o espírito e a mente, mas você já vai entender isso.

 

Os avanços tecnológicos trouxeram inúmeras facilidades e em prol, ou com a desculpa, de abastecer cada vez mais casas ao redor do planeta, a industria alimentícia acabou por optar por processos de fabricação mais baratos como a sintetização de muitos ingredientes. Resultado: alimentos falsos com pouco valor nutricional que a única coisa que carregam é o gosto bom.

 

Agora veja, do ângulo de uma pessoa que não se preocupa com a saúde, que trabalha ou estuda e vê pouca televisão por falta de tempo.

 

Não é o seu caso, já que você acompanha esse blog e se interessa por assuntos como qualidade de vida, mas com certeza você conhece alguém assim.

 

Veja do ângulo de uma pessoa comum, quantos problemas de saúde relacionados ao que se come não se escuta falar, hipertensão, diabetes, compulsão alimentar, câncer, colesterol. E isso na sociedade atual que é a mais avançada tecnologicamente  e confortável de se viver de todos os tempos.

 

E os meios para combater essas doenças são ainda mais avançados ainda como a restrição alimentar, você tem que comer pouco para não aumentar o seu diabetes, não estourar a sua pressão e manter regulado o seu colesterol.

 

Ou você come sempre pouco de tudo, ou elimina certos alimentos e come pouco das opções que sobraram. É assim que agem todos aqueles que tem algum problema de saúde: “Tenho que diminuir a carne, tenho que passar a comer agora só integral” e por ai vai.

 

E outros hábitos pontuais que estão tão inseridos na sociedade contemporânea que nem nos damos conta do porque precisamos daquilo, como cápsulas de vitaminas,  adoçantes, açúcar, multi vitamínico, termogênicos, whey protein, sibutramina.

 

Antigamente, digo há de 100 a 10 mil anos atrás, o homem tinha uma faca feita de pedra lascada e o conhecimento de fazer fogo e desconhecia o que era câncer e obesidade. E exatamente nesse questionamento é que formou ao longo de décadas a dieta paleolítica, que tenta imitar nos dias atuais a alimentação dos nossos ancestrais.

 

A dieta paleo não tem um único fundador, foi sendo montada por centros independentes e distintos de pesquisa no decorrer de quase uma década. Nessa jornada participaram nutricionistas, cardiologistas, antropólogos, historiadores, médicos e vários trabalhos foram publicados.

 

Um bom material para quem quer se aprofundar mais no que está por trás da dieta paleo é o livro em português: A dieta dos nossos ancestrais.

 

 Como era a alimentação antes da agricultura

agricultura-dieta-paleolitica

 

 

No livro “A dieta dos nossos ancestrais” o autor utiliza o termo caçador-coletor. E isso resume bem como era a alimentação nesse nosso período da evolução. Comíamos o que caçávamos e o que conseguíamos coletar em árvores, no chão, em arbustos, no pé de clareiras e montanhas.

 

Bom, certamente não conseguiríamos comer grãos, uma vez que não poderíamos cozinhá-los, não poderia degustar massas e coisas que levam açúcar branco, já que seria impossível processar os grãos e a cana de açúcar… e com certeza não teria acesso aos produtos industrializados de hoje em dia.

 

Acho que você deve estar começando a entender onde quero chegar…

 

Como o próprio nome já diz, a dieta Paleolítica não traz consigo muitas regras, você basicamente pode comer o que o homem comia milhares de anos atrás – obviamente que com algumas adaptações, afinal quase ninguém vai sair comendo insetos ou caçando com as próprias mãos. Se chegamos até onde chegamos só comendo isso, é fácil perceber que provavelmente este tipo de alimentação tem seus benefícios.

 

Vale lembrar que as comidas apenas começaram a se requintar muito recentemente se compararmos com o tempo que ser humano habita a Terra.

 

A agricultura existe a apenas 10 mil anos, quando falamos do período paleolítico estamos nos referindo a 100 mil anos atrás. O processamento dos alimentos só foi possível depois da era industrial o que ocorreu a pouco mais de 100 anos atrás. Se compararmos quem sabe mais sobre nutrição, nossos ancestrais tem eras de prática e vivencia a nossa frente.

 

Informações capturadas em sítios arqueológicos na África, onde a humanidade povoa a mais tempo, dizem que a principal fonte de alimentos era da caça, e nossos antepassados gostavam principalmente de costelas, órgãos e do caldinho dos ossos dos animais. O intrigante que a costela é um corte gorduroso, nada “saudável” se pensarmos com a cabeça de hoje em dia e nas carnes brancas e magras que fazem bem a saúde.

 

Infelizmente através dos métodos de pesquisa e investigação que se conhece hoje é difícil comprovar se nossos ancestrais comiam verduras e legumes, essa informação só é possível obter acompanhando tribos isoladas que vivem nos dias de hoje como os esquimós e outros vários povos.

 

Na verdade nos dias de hoje (2017) já quase não restaram tribos que não tenham se contaminado com os hábitos ocidentais, mas até meados dos anos 50 foi descoberto uma tribo de esquimós que não conhecia nem o açúcar nem os grãos, até a data de descoberta dela o povo esquimó não sabia o que era câncer e seus dentes eram perfeitos mesmo nos idosos.

 

Depois da interação com o ocidente desenvolveram diabetes, câncer e perca de dentes.

 

Nessa tribo a principal fonte de alimento era a gordura das focas, ursos polares e salmão. Sua saúde era de ferro, não ficavam doentes e os pesquisadores que acompanharam por 3 anos o dia a dia deles narrou:

 

“Incrível como esse povo é alegre, festivo e cortês. Nunca imaginei isso num povo selvagem. Mesmos as crianças são educadas e sobre os castigos que dão a eles, nunca vi ninguém apanhar”

 

Totalmente o oposto do que é retratado em filmes e documentários

 

E o Colesterol?

dieta-lowcarb-paleo-colesterol

 

Muitas pessoas acreditam que os motivos do aumento da obesidade, diabetes, doenças cardiovasculares e câncer é o aumento do consumo de fast-food, de alimentos fritos e processados e muita gordura – tudo aliado à diminuição da prática de atividades físicas.

 

Em parte, as pessoas  estão corretas. O consumo maior de alimentos processados está realmente contribuindo para o aumento da obesidade e de uma série de outras doenças. No entanto, a prática de atividade física tem aumentado cada vez mais, o que poucos sabem.

 

Quem não conhece uma vizinha que sai pra correr no condomínio onde mora. Ou alguém que perdeu o emprego recentemente e está caminhando toda manhã por uma hora. As academias também estão cada vez mais cheias e o preço de várias delas está caindo.

 

Agora é possível  que você pense que, então, é só o aumentos do consumo de alimentos processados, açúcar e gordura o causador de todos os males. Mas não é bem assim.

 

Temos dezenas de estudos controlados que comprovam que consumir carboidrato de alto índice glicêmico, com macarrão, cereais integrais, arroz, pão geram impacto negativo na saúde e são os causadores do seu ganho de peso.

 

>>> Para entender melhor Assista esse vídeo sobre As 3 Reais Causas do Ganho de Peso, clicando aqui<<<

 

Por exemplo, em um estudo apresentado num encontro científico em Boston no ano de 1964, 69 homens e mulheres acima do peso foram colocados em uma dieta controlada, por oito semanas, com o objetivo de diminuir o peso.

 

Após as oito semanas, os participantes foram divididos em dois grupos, cada um sendo alimentado com a mesma quantidade calórica de alimentos, mas com diferentes proporções de macronutrientes (proteína, carboidratos e gordura) por mais oito semanas.

 

O grupo 1 recebeu uma dieta rica em carboidratos, e o grupo 2 uma dieta rica em gorduras, sendo que a quantidade de proteínas eram as mesmas em ambos os grupos.

 

Resultado, comendo gordura o grupo 2 emagreceu 11% a mais em termos de gordura abdominal (de pneuzinhos e pochete) e, os exames de sangue mostraram que o colesterol ruim diminuiu, mesmo o colesterol total tendo aumentado, mas isso é positivo, e os níveis de triglicérides reduziram drasticamente, o que também é bom, e o fígado passou a funcionar melhor.

 

Tudo contrariando o senso comum que comer gordura engorda e faz mal a saúde.

 

Alguns desses resultados são facilmente explicados no estudo. A melhora do fígado foi graças a queima da gordura na parede do fígado. Essa camada de gordura é resultado do consumo de carboidratos com alto índice glicêmico (pães, massas e cereais integrais).

 

Ao consumir estes tipos de carbos o metabolismo o sintetiza em glicose e a glicose é transformada em gordura, quando o fígado não tem mais pra onde mandar tanta gordura acaba formando uma camada ao redor dele mesmo.

 

Então, desde a década de 50, 60 os médicos mais antenados já sabem do malefício de consumir grãos ao invés da gordura natural dos alimentos. E hoje, você está aprendendo isso aqui.

 

Concluindo, não tenha medo em comer mais carne vermelha. Desde que não sejam as carnes processadas como linguiça, salsinha, salame você estará fazendo um bem enorme a sua saúde.

 

Afinal de contas nós nos desenvolvemos como espécie a centenas de milhares de anos comendo exatamente assim: principalmente costelas, órgãos e o caldinho dos ossos.

 

Sei que pode ser difícil de você acreditar nisso que digo justamente porque vai contra tudo o que você vem ouvindo a décadas, mas a dieta paleo é uma dieta também estudada a décadas e tem seguidores entusiasmados ao redor do mundo todo, que discordam do que a grande mídia patrocinada diz.

 

 

Há um movimento muito forte para lutar contra a desinformação e o egoismo dos grandes produtores agrícolas mundiais e você tem que saber disso também. No final desse artigo, vai encontrar toda a referencia bibliográfica que utilizei para fazer esse post. Qualquer dúvida, é só falar comigo depois, ok?

 

 

Benefícios da Comida de Verdade – Dieta Paleo

transformação-dieta-paleolitica

 

A dieta paleolítica funciona porque ela:

 

  1. É fácil de ser seguida;
  2. Não é preciso contar calorias coma o quanto você quiser até se sentir satisfeito e só depois pare;
  3. Elimina ou restringe tudo que causa a vontade de comer doces e desregula o seu apetite;
  4. Promove o controle da glicose e insulina no sangue;
  5. Melhora a digestão e absorção dos alimentos e fortalece sua flora intestinal;
  6. Altamente nutritiva;
  7. Sacia mais com menos calorias.

Essas sete características  fazem as pessoas perder peso com facilidade, além de melhorar vários marcadores de saúde (glicemia, colesterol LDL, triglicérides, gordura abdominal).

 

Às vezes lemos ou ouvimos para comermos menos pão, fazer menos isso, fazer menos aquilo e o que falta mesmo é uma referência. Quando eu estava estudando sobre as dietas de baixo carboidratos e alta gordura, a dieta paleo é uma delas, achava que bastava reduzir o número de pães no dia que já estaria fazendo progresso.

 

Mas não via no meu peso tantas mudanças significativas assim. Eu estava emagrecendo, mas não tão rápido quando falavam que eu iria, mas eu estava seguindo a dieta. Então porque não emagrecia?

 

Achava que já tinha entendido tudo. Pão, mesmo o integral, tem alto IG (índice glicêmico) e se eu comer ele vou parar de gastar energia que já está no meu corpo para queimar a energia que o pão me deu. Além disso, o pão entra  fácil no organismo então daqui a 30 min vou estar com fome de novo, porque todo o pão se foi e meu corpo não está nutrido com todo o resto que ele precisa.

 

Resumindo, já tinha toda a informação que precisava para fazer minha dieta. Porém, as vezes bate uma vontade de comer uma besteira, é normal, e la ia eu comer aquele minusculo pão, ou aquele pratinho de macarrão, só pra matar a vontade de massa.

 

Isso, detonava a minha dieta e eu nem percebia. Só fui me dar conta depois que encontrei um estudo do William Davis, autor do livro Barriga de Trigo, onde ele diz que 50 g de pão integral, equivalente a 2 fatias de pão de forma, são suficientes para aumentar os níveis de glicose no sangue – mais do que a mesma quantidade de calorias do açúcar de mesa e muitos doces.

 

Depois dessa entendi o que matava minha dieta e retardava meus resultados. Eu pensava, estou com vontade hoje de um lanchinho, estou fazendo tudo certo, hoje faço o meu dia do lixo é um lanche só, na verdade eram 2. Enfim…

 

Falei do pão mas não se limita a ele, pedaços de bolo, fatias de torta, aquela uma fatiazinha só. Tudo isso detona o seu processo de emagrecimento. Então evite nessa fase.

 

Melhor mesmo é concordar que comer sem culpa é a melhor forma de comer. Não que é você nunca mais vai comer besteiras na sua vida. Mas vai comer quando não pesar na sua consciência, espere emagrecer, ficar bonito(a) e depois faça o seu dia do lixo com essas delícias.

 

Quando emagrecer não for mais sua principal meta, esses 3 dias de retardo não mais significaram prejuízo para você.

 

Por isso que farinha de trigo faz tão mal, não é que o excesso dela faz mal, porque alguns comem exageradamente, é que ela mesmo em porções pequenas já faz mal.

 

Cada vez que você eleva a glicemia precisa de um tempo razoável para equilibrar ele de novo. Então cada lanche que comia me retardava, penso eu baseado nos meus hábitos, em 3 dias. Não é só a questão da glicemia, ok? A farinha de trigo também desregula o apetite e induz a vontade de doce, outras fontes que causam picos de glicemia.

 

E só pra lembrar o trigo em si não é tão maléfico assim, mas as constantes alterações genéticas que os produtores fizeram nele para que crescessem maiores, mais fácil, fossem mais resistentes a pragas, destruíram as informações genéticas que o trigo natural tinha. O milho a mesma coisa, já foi bem alterado geneticamente.

 

Cardápio da Dieta Paleolítica

carne-dieta-paleolitica

 

Que você deve comer “comida de verdade” e que a gordura natural dos alimentos é sua amiga, você já sabe. Então agora vou dar uma lista mais detalhada dos alimentos permitidos na dieta Paleolítica, que são considerados comida de verdade, ou seja, nutritiva.

 

Alimentos Permitidos

1. Carnes:

  • Bovina
  • Aves
  • Suína
  • De caça
  • Etc

Todas as carnes são permitidas e suas gorduras não precisam ser retiradas, pelo contrário. Com atenção as carnes processadas, essas devem ser evitadas.

2. Frutos do mar:

  • Peixes
  • Ostras
  • Mariscos
  • Camarões
  • Todos os outros tipos de frutos do mar

3. Ovos:

É um alimento completo e altamente recomendado. Todas as formas estão permitidas.

(Só fique atento e não use óleos a base de grãos ou sementes se for fazer omeletes)

 

4. Verduras e Legumes:

Todos podem ser comidos sem restrições e ainda são ótima fonte de fibras para sua dieta.

 

5. Gordura natural:

  • Azeite de oliva*
  • Manteiga
  • Óleo de coco
  • Maionese de azeite de oliva

Todos esses alimentos são permitidos. Além disso dão sensação de saciedade por mais tempo, o que ajuda no processo de emagrecimento.

Lembrando que é bom ficar longe de gorduras “não-naturais”, como margarinas, gordura vegetal hidrogenada, óleos com origem em sementes e grãos.

 

6. Nozes:

  • Castanha do Pará
  • Castanha de Caju
  • Avelã
  • Noz pecan
  • Pistache

Estão liberadas e ainda são ótimas substitutas aos vilões “salgadinhos”. Obviamente que você deve evitar as que são caramelizadas.

Alimentos Que Devem Ser Consumidos Com Moderação

1. Raízes:

  • Mandioca
  • Beterraba
  • Batata doce
  • Cenoura
  • entre outras

2. Frutas:

  • Banana
  • Maçã
  • Mamão
  • Laranja
  • entre outras

O consumo destes itens depende do seu objetivo na dieta.

 

  • Se você quer emagrecer, então restrinja o consumo de frutas e raízes e torne a dieta controlada em carboidratos;

Como eu disse acima, se você quer ter o melhor resultado possível no menor tempo deve inclusive controlar os alimentos fortes com moderado índice glicêmico. Nem de longe a mandioca pode ser comparada ao pão, mas comer carbos por si só estaciona a queima de peso, mesmo que só um pouquinho.

 

  • Agora se emagrecer não é seu objetivo e você apenas quer hábitos alimentares mais saudáveis, então pode ingerir estes alimentos conforme sua vontade.

 

Menção especial às frutas vermelhas, como morango e cereja, que apresentam menor quantidade de açúcar e podem ser consumidas com mais liberdade, inclusive por quem quer emagrecer.

 

Outros itens que podem ser inseridos na dieta desde que com moderação, são:

 

  • Álcool: não apresenta efeito de aumentar a insulina, não sendo responsável por engordar. Porém pode dificultar o emagrecimento se consumido em grandes quantidades. Claro que se for beber, prefira bebidas com poucos carboidratos, como vinhos ou espumantes secos. Passe longe da cerveja, pois ela é rica em açúcares.
  • Laticínios: a dieta paleolítica não contém laticínios em geral. O leite apresenta lactose, um tipo de açúcar, que também eleva a insulina – o que não é bom para a dieta – além de não ser tolerada por muitas pessoas. Além disso, a maioria dos derivados do leite recebem mais açúcar (como vários iogurtes) ou outros aditivos químicos em suas composições.

 

Porém, produtos fermentados, aqueles mais naturais, como queijo, coalhada, iogurte natural com gordura e manteiga, podem ser consumidos.

O próprio leite pode ser consumido, em poucas quantidades, dependendo dos seus objetivos dentro da dieta (quem quer emagrecer não deve tomar).

Alimentos Proibidos

  • Açúcar: tudo que contém açúcar deve ser cortado da dieta, como refrigerantes, doces, sucos de fruta, bolos, tortas, sorvetes, cereais matinais…a lista é enorme!
  • Amido: principalmente todos os derivados do milho e os grãos – feijão, arroz, soja, etc! Elimine da sua dieta massas e farinhas à base de trigo (um alimento que pode causar muitos prejuízos à saúde).

 

Neste ponto vale ressaltar novamente que é importante eliminar os óleos processados a partir de grãos e sementes, como os óleos de girassol e soja.

  • Produtos industrializados e com aditivos químicos: talvez não seja certo generalizar, mas a regra é quase sempre válida:
  • se o produto é industrializado, passe longe dele;
  • se o produto contém “ingredientes” com “nomes estranhos”, passe longe dele.
  • Margarina: margarina poderia estar incluída no item acima, porém, resolvi separá-la por um simples motivo – muita gente ainda acha que margarina e manteiga são quase a mesma coisa, ou pior, preferem a margarina por ter menos gordura. E esse é um conceito bem errado.A margarina é muito prejudicial para sua saúde e não deve ser consumida nunca.

“Mas por que posso comer azeite de oliva e não posso comer óleos provenientes de sementes e grãos?”

 

Simples, para se obter azeite de oliva basta pegar uma azeitona e espremê-la. Pronto, você tem o azeite.

Agora, para se obter óleos a partir de grãos e sementes o processo é muito mais complexo, e pode ter certeza, eles não são produtos naturais e muito menos alimentos que eram consumidos a milhares de anos atrás.

 

 

Como Começar a Dieta Paleo em #3 Passos Simples?

evolução-humana-dieta-paleolitica

 

Se conseguir, certamente terá resultados muito bons (como mostra aqui).

 

Vou tentar simplificar ao máximo o que você precisa fazer para testar a dieta paleo por 30 dias. Fique de uma a duas semanas em cada passo, de acordo com seu ritmo, para se adaptar bem e ir vendo os resultados.

 

Não há pressa, o importante é deixar seu corpo mostrar como ele vai reagir quando você retirar tudo aquilo com que a genética dele ainda não está pronta para lidar.

 

Faça o teste por pelo menos 30 dias. E depois conte para a gente o que aconteceu nos comentários! Queremos ouvir sua história.

 

Passo #1 – Engatinhando

 

Para começar na dieta paleo, o primeiro passo é eliminar, cortar ao máximo as seguintes 3 coisas da sua vida:

 

  • Açúcar refinado
  • Farinha de trigo
  • Óleos vegetais poliinsaturados (óleo de soja, óleo de girassol, óleo de canola, margarina)

 

Basicamente isso significa parar de comer fritura, pão, massa, doces e refrigerantes.

 

Isso também vai fazer você parar de consumir tranqueiras que vêm caixa e são compradas nas gôndolas de supermercado.

 

Cortando estes três elementos, mesmo que você não mude mais nada já vai emagrecer rápido e sua saúde vai melhorar.

 

Eliminar essas coisas pode parecer simples, mas sabemos que não é fácil. Por isso, vale o esforço no começo, porque os resultados desses cortes chegam rápido.

 

Se estiver difícil cortar, procure substituir os ingredientes: troque tudo que leva farinha de trigo por alimentos sem glúten, que hoje encontramos facilmente no mercado, ou substitua a farinha de trigo por farinha de arroz ou de amêndoas (se a receita permitir).

 

Substitua os óleos vegetais por azeite, manteiga, óleo de coco ou dendê.

 

Já quanto ao açúcar refinado, o ideal é mesmo cortá-lo. Se não for possível mesmo eliminá-lo de vez da sua vida, use mel, melado ou açúcar de coco no lugar, sempre tentando consumir o mínimo possível.

 

Se bater aquela vontade irresistível de comer doce, tente substituir por uma fruta bem doce como manga ou mamão.

 

 

Passo #2 – Acelerando

 

Agora que você passou pelo menos uma semana na fase 1 e já viu o que a dieta paleolítica é capaz de fazer com seu corpo, chegou a hora de acelerar o processo e colher ainda mais resultados.

 

Fique nesta fase agora por pelo menos 10 dias.

 

No passo 2, você vai cortar da sua alimentação:

 

  • Arroz e feijão
  • Leite e laticínios (exceto manteiga e creme de leite)
  • Adoçantes

Complicado? Difícil? Você acha impossível viver sem o seu arroz com feijão e tomar o café com leite?

 

É menos complicado do que você imagina. O segredo está em substituir e adicionar.

Aqui você vai trocar o arroz com feijão por batata-doce, mandioquinha ou inhame.

Também pode trocar o leite por leite de coco, amêndoas ou castanhas.

Troque o adoçante por stévia ou xylitol, ou elimine-o por completo da sua vida. Lembre-se você está numa reeducação alimentar que tal passar a sentir o verdadeiro gosto dos alimentos.

E agora é hora de começar a consumir mais salada e verduras, se ainda não estava fazendo isso.

Pode começar a acrescentar todo tipo de folhas verdes no prato, repolho, couve-flor, cenoura e beterraba. Eles vão compensar a perda do arroz e feijão e ainda vão adicionar muitos nutrientes à sua dieta.

Frutas e nozes também são seus amigos, lembre-se.

Passo #3 – Ajuste Fino

 

Se você conseguiu passar pelo passo 1 e 2, então provavelmente já sentiu uma tremenda diferença no corpo, não é mesmo?

 

Você já está seguindo a dieta paleo, o próximo passo é apenas para fazer um ajuste. A dieta paleolítica é densa e rica em nutrientes, mas você ainda pode se beneficiar de alguns suplementos.

 

1) Suplemente

Converse com um nutricionista e considere suplementar com ômega 3 (óleo de peixe), vitamina D e probióticos. Esses três são bastante importantes para sua saúde de modo geral.

 

2) Durma mais e melhor

Tecnicamente “dormir mais” não tem por que estar em um artigo sobre de dieta e alimentação, mas o sono saudável é um tema muito importante no movimento paleo, além de ser fundamental para manter regulados seus níveis hormonais e também por ajudar no emagrecimento.

 

Procure dormir 8 horas por dia. Durma em um quarto bem escuro, sem nenhuma fonte de luz nele. Use cortinas do tipo blecaute para barrar a iluminação da rua, se necessário.

 

Seu corpo vai agradecer.

 

 

Experimento com os Esquimós

esquimós-dieta-paleo

 

 

Os esquimós são grupos de uma tribo indígena que ocupam regiões árticas do Alasca, Canadá e Groelândia. Os membros dessa tribo são um exemplo de boa saúde e qualidade de vida dentre outras tribos tradicionais (caçadores-coletores) que praticamente só consomem carne, sendo a maior parte proveniente de diversos mamíferos, como ursos, aves, leões-marinhos e focas.

 

Eles são também um exemplo perfeito da adaptabilidade dos ser humano a climas extremos, com temperaturas baixíssimas e falta de vegetação.

 

Seu estilo de vida único nos oferece valiosas informações a respeito dos limites humanos. Muitos pesquisadores, dentre eles Weston Price, ficaram fascinados com a excelente saúde gozada pelos esquimós, pois exibiam uma arcada dental excelente, sem indícios de cáries, além de vigor físico e alegria.

 

Aqui transcrevo um trecho de seu livro Nutrição e degeneração física em que relata sobre os esquimós:

 

Em seu estado primitivo, eles eram um exemplo de excelência física e perfeição dental, de forma dificilmente vista em outras raças do passado. Estamos também profundamente interessados em saber a fórmula de sua nutrição, para que, assim, possamos aprender os segredos que irão não somente ajudar o infeliz homem moderno, conhecido como raça civilizada, mas também irão nos fornecer meios para ajudá-los a se preservar.

 

Os esquimós consumiam em média 75% de sua dieta proveniente de gordura, outros aproximados 25% de proteína e 0% de carboidratos. Tinham preferência pela parte mais gorda do animal; sendo assim, o perfil da gordura consumida por eles girava em torno de 30% e 35% de gordura saturada, 55% a 60% era monoinsaturada e 10% polo-insaturada.

 

As  crianças, ainda hoje, são amamentadas até os 3 anos de idade e ingerem alimentos sólidos (carne) desde o nascimento.

 

Diferentemente da maioria das sociedades tradicionais, entre os esquimós, ainda nos dias atuais não há sinal algum de doenças crônicas e degenerativas, como, por exemplo, doenças cardíacas, câncer e Alzheimer, as quais representam pelo menos 90% das doenças acometidas pelas sociedades ocidentais. Eles eram fisicamente robustos e ativos, não havendo sinais de obesidade como em qualquer cultura tradicional.

 

Ao invés disso, são magros e definidos,a pesar do rosto redondo e a aparência corpulenta causada mais pelo uso de grossas roupas de lã. Longevidade extrema é bem conhecida entre eles, apesar de não contarem suas idades.

 

Um dos principais contra-argumentos a respeito de seu vigor físico, apesar do alto consumo de gorduras, é o de que eles precisam consumir muitas calorias para sem manterem aquecidos. Esse argumento porém, é facilmente desmitificado pelas evidências de inúmeras outras tribos que consomem mais de 70% de calorias vindas de animais e gorduras.

 

Muitos americanos e europeus no começo do século XX ficaram intrigados com a possibilidade de o homem ocidental conseguir levar uma vida saudável apenas consumindo carnes sem vegetal algum.

 

Assim, então, mandaram exploradores para viver 1 anos entre eles. Para espanto dos médicos da época, os exploradores mantiveram-se saudáveis por todo o tempo e não mostraram sinal de deficiência alimentar algum, muito pelo contrário.

 

Segundo seus próprios relatos, eles nunca tinham se sentido tão bem e tão saudáveis; além disso, emagreceram a pontos de ficarem esbeltos e fortes e mostraram vontade de continuar seguindo a dieta.

 

Até um dos exploradores ficou impressionado com a vida cotidiana deles.

 

Suas esposas são confiáveis e queridas pelos maridos, os filhos não mostram sinal algum de desobediência e desrespeito nem sinal algum de petulância, atrevimento ou arrogância por parte de qualquer um deles, além de a punição corporal ser raramente permitida.

 

Infelizmente, hoje em dia, muitas tribos de esquimós já foram afetadas por hábitos ocidentais de vida, e, por isso, já estão sofrendo as consequências físicas, como cáries, diabetes e câncer, conforme relatam vários historiadores. Isso tem sido relacionado ao consumo de óleos vegetais (frituras), farinha de trigo e açúcar.

 

A verdade sobre os esquimós e outras tribos é chocante para a maioria das pessoas, que seguem  a dieta tradicional de contar calorias e os hábitos modernos de comer pão sem saber dos potenciais malefícios à saúde associados ao consumo desses alimentos.

 

Mas agora, pelo menos, você já sabe.

 

Receitas Paleo – A Prática de Fazer Comida de Verdade

Seguir o estilo de vida paleo tem como maior objetivo propiciar uma vida mais saudável, mais feliz, mais longa e mais produtiva possível. Nossos genes de mais de 10 mil anos atrás, esperam que possamos imitar ao máximo o estilo de vida que nossos ancestrais levavam comendo e nos movendo como eles.

 

Aqui abaixo listo 4 deliciosas receitas para você começar a testar essa dieta. Não é nenhum sacrifício comer essas receitas e o melhor de tudo, podemos comer o quanto quiser desses pratos, sem restrição de calorias. É o novo mundo das dietas.

 

Abacate com Cacau

abacate-com-cacau_opt

 

 

 

Lagarto na Pressão

Receita-dieta-paleo-Lagarto-na-pressão

 

 

 

Carne Assada na Pressão

Receita-dieta-paleo-Carne-assada-na-panela-de-pressão

 

 

 

 

Salmão com Quinoa e Romã

dieta-paleo-salmão-com-quinua

 

 

Resumo

Dieta-Paleolítica-resumo

 

Referências

Ezequiel Alves

Blogueiro no Seu Infield. Pesquisador e Culinarista. Seu interesse por Nutrição começou há 4 anos quando descobriu a dieta low carb. Agora se dedica a disseminar esse conteúdo ao maior número de pessoas possível.
Close Menu